ÍNDICE
QUEM SOMOS
Diretoria Atual
Diretorias Anteriores
Ex-Presidentes
Estatuto
História(PR)
CIENTÍFICO
Agenda
Josulbra
PEC Regional
CET's
CECA
SERVIÇOS
SPA News
Consultoria
Download
Copan
Revista
Empregos
Classificados
Blog
Links
MUSEU
Documentos
Medicamentos
Anestésicos
Bloqueadores
Equipamentos
Fale Conosco
Página Inicial
História da Anestesiologia no Paraná

       A história da anestesia no Paraná parece iniciar-se na cidade de Paranaguá, onde o médico alemão Dr. Sigmund Weiss, no início do século XX, teria utilizado pela primeira vez a cocaína em suas anestesias.
       Até a década de 40, as anestesias eram aplicadas, na grande maioria das vezes, pelo próprio cirurgião ou por algum assistente de sua equipe e às vezes por enfermeiras, e consistiam quase sempre na administração de éter ou clorofórmio, evoluindo para o balsofórmio (mistura de éter, clorofórmio e gomenol), pelo sistema gota-a-gota, em máscara aberta (Yankauer), evoluindo posteriomente para o aparelho de Ombredanne. Alguns cirurgiões se aventuravam na anestesia venosa, utilizando o Evipan® e posteriormente o Nembutal®. Em concomitância com o ato cirúrgico, administravam anestesias loco-regionais, com o uso progressivo da cocaína, novocaína e tetracaína. Os obstétras utilizavam clorofórmio e posteriormente tricloroetileno nas analgesias obstétricas.


DÉCADA DE 40
       É na década de 40 que a anestesia começa a ser pensada como especialidade médica e efetivamente como anestesiologia. Após o término da II Guerra Mundial, médicos militares brasileiros que receberam dos americanos conhecimento especializado de anestesia, foram os principais responsáveis pela introdução do interesse na nova especialidade no país. O Paraná não foi diferente dos demais estados brasileiros e nos hospitais de maior clínica cirúrgica (Santa Casa de Misericordia, Instituto de Medicina e Cirurgia, Casa de Saúde São Francisco, Hospital da Cruz Vermelha Brasileira, Maternidade Victor do Amaral, Hospital de Crianças "Cesar Pernetta", Sanatório Médico Cirúrgico do Portão, em Curitiba; e as Santas Casa de Paranaguá, de Londrina, de Jacarezinho, de Ponta Grossa, de Castro, dentre outros). Alguns médicos passaram a se dedicar com mais afinco a esta novel especialidade, mesmo sem terem uma formação especializada. Em Curitiba os profissionais médicos que mais se destacaram ao mostrar maior interesse pela anestesia, mesmo atuando em outra especialidade, foram Oswaldo Faria da Costa (cirurgião pediatra), Dante Luiz (cirurgião geral e urologista), Ernani Simas Alves (cirurgião e legista), Moysés Paciornick (ginecologista e obstetra), Antonio Bittencourt de Paula, Alcídio Bortolin, Prince Cunha, Durval Cordeiro, Marcos Merhy, A. Sadi Pizzato, Nivaldo Almeida, Jorge Meyer, Daniel Egg, Ervino Kompatcher (todos cirurgiões) e outros.

       Originário da 1ª Cátedra de Clínica Cirúrgica da Faculdade de Medicina do Paraná sob a chefia do Professor Mário Braga de Abreu, o Dr. Heinz Rücker, em 1945, passa a ser o primeiro médico a exercer com exclusividade a anestesia em Curitiba, seguido pelo Dr. David Virmond de Lima, originário da 2ª Cátedra de Clínica Cirúrgica do Professor João Vieira de Alencar, e que passaram a utilizar a anestesia gasosa (protóxido de azoto, ciclopropano e éter), através de aparelhos de anestesia importados (Heidbrink, McKesson, Foregger, Ben Morgan, Emerson, Aga, entre outros). Esses aparelhos permitiam a anestesia inalatória em circuito fechado, sendo o vaporizador de éter e a cal sodada intercalados no circuito (o éter vaporizado por arrasto de superfície). A introdução dos aparelhos representou o início incipiente da especialidade, pois eram utilizados apenas e somente por médicos. Acompanhavam os aparelhos, um conjunto de laringoscópio com três lâminas retas e sondas traqueais de goma sem balonete. Rücker foi o pioneiro no Paraná na utilização do curare e na intubação traqueal, tendo publicado em 1947 um trabalho sobre o uso do kondrocurare. Rücker e David se constituiram no pólo de atração para a formação dos novos especialistas: acadêmicos de medicina e médicos recém-formados começaram a se interessar mais para a prática da especialidade, aprendendo a manejar os novos aparelhos, as novas técnicas e os novos fármacos, dominando a anestesia gasosa.

       No final da década de 40 e a partir do início da década de 50 surgem os primeiros especialistas em anestesiologia no Paraná: profissionais que passaram a frequentar centros de ensino da especialidade, tanto no país quanto no exterior.

       Amadeu Prada Beduschi é considerado o primeiro especialista em anestesia de Curitiba, tendo se formado médico pela UFPr em 1948, exercendo anestesia desde este ano, pois no 6º ano já fazia anestesia para cirurgia de tórax no Sanatório Médico Cirúrgico do Portão (de doenças pulmonares), para os cirurgiões João Luiz Bettega e Alceu Santos Almeida, utilizando um aparelho de anestesia Foregger, com sistema vai e vem, com absorvedor de CO2 por cal sodada. A indução era feita com O2 e Ciclopropano, acrescentando éter gradativamente; sob máscaras fixas por presilhas e com cânulas oro-faringeanas eram administrados, pelo tempo que se fizesse necessário O2 e éter, este por borbulhamento. Em 1950 estagiou no Hospital de Clínicas de São Paulo com o Dr. Reynaldo Neves de Figueiredo como chefe do serviço e tendo como instrutores Gil Soares Bairão, Kentaro Takaoka, Alberto Caputo, Antonio Pereira de Almeida, Amador Varella Lorenzo, Carlos Pereira de Magalhães Júnior e Oscar Figueiredo Barreto. Na sua volta a Curitiba, trouxe na bagagem a peridural, o tionembutal, a novocaína, o curare, a entubação traqueal, a respiração controlada manual, que associadas à anestesia gasosa com ciclopropano, óxido nitroso e éter, propiciou uma verdadeira revolução na anestesia desta cidade. Como especialista em anestesiologia, exerceu suas atividades no Sanatório Médico Cirúrgico do Portão e no Hospital São Lucas. Amadeu Beduschi também foi responsável pela administração do primeiro curso de anestesia geral na Associação dos Estudantes Internos da Faculdade de Medicina do Paraná. Juntamente com Marlus Chesneau Lenz Cesar, Amadeu Beduschi organizou o Serviço de Anestesia do Hospital São Lucas, tendo propiciado a formação dos especialistas em anestesiologia Francisco Xavier Beduschi, Iran Bittencourt, Helmut Karl Rebel, João Oswaldo Rivabem, Tito Camargo Bianchini, que passaram a fazer parte de sua equipe, além dos anestesiologistas Farid Sabbag e Mitsi Villanova Menon.

       Outros profisionais médicos, demonstrando maior interesse pela especialidade, passaram a frequentar Centros de Ensino em Anestesiologia.

       Ernani Arzua Pereira , com formação especializada nos Estados Unidos, assumiu a chefia do serviço de anestesia da Clínica Cirúrgica do Professor Mário Braga de Abreu na Santa Casa de Misericórdia de Curitiba em substituição ao Dr. Heinz Rücker, tendo propiciado a formação dos anestesiologistas Ney Regattieri do Nascimento, Sebastião Farajala Bacila e José Cássio Cavalcanti de Alburquerque, que passaram a fazer parte de sua equipe, além dos anestesiologistas Fernando Luiz Romão Loureiro e Porcidio D'Otaviano de Castro Vilani.

       Armando Obladen, com formação especializada em Buenos Aires, assumiu a chefia do serviço de anestesia da Clínica Cirúrgica do Professor João Vieira de Alencar e passou a exercer suas atividades profissionais na Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, na Casa de Saúde São Vicente e na Casa de Saúde São Francisco, tendo propiciado a formação do anestesiologista Ernani Obladen que publicou, como interno da Cátedra de Técnica Operatória e Cirurgia Experimental da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná, o primeiro trabalho sobre anestesia em cirurgia experimental no ano de 1951, e dos anestesiologistas Eugen Wagner, Amaury Delavigne Bueno, Osmar Böehler, João Alfredo Duarte, que passaram a fazer parte de sua equipe, além dos anestesiologistas Francisco Antonio de Asevedo, Cleusa Ramos Doria e Antonio Leite Oliva Filho.

       Marlus Chesneau Lenz Cesar, com formação no Serviço Médico de Anestesia do Rio de Janeiro, sob a chefia do Professor Mário Castro d'Almeida, passou a exercer suas atividades no Hospital São Lucas e no Hospital de Crianças Cesar Pernetta, tendo incluido em sua equipe Carlos Henrique Jacob, João Oswaldo Rivabem e Mara Ovande do Amaral.

       Armando Lambach, com formação nos Estados Unidos, exerceu suas atividades no Hospital da Cruz Vermelha, no Hospital Militar, na Clínica Nossa Senhora do Rosário, no Hospital São Francisco, na Clínica Dr. Antonio Amarante e na Maternidade Victor Ferreira do Amaral, tendo incorporado em sua equipe João Farah, José Antonio Grisoli, Antonio Ruy Bodaczny e Farid Sabbag.

       Carlos Henrique Jacob, com formação em Rosário, na Argentina, passou a atuar no Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná, no Hospital São Lucas, na Clínica Nossa Senhora do Rosário e no Hospital Evangélico de Curitiba, tendo propiciado a formação como especialista de José Ephisio Bigarelli, de Pedro Napoleão Adam Machado e Adhemar Ribeiro de Campos que passaram a fazer parte de sua equipe.

       Luiz Vasco da Costa Negraes, com formação no Serviço de Anestesia São Paulo, sob a chefia de Kentaro Takaoka, exerceu suas atividades no Hospital de Pronto Socorro do Cajurú, tendo propiciado a formação em anestesiologia de Antonio Garibaldino Vieira do Amaral, que passou a fazer parte de sua equipe.

       Celso Sperandio, com formação no Serviço de Anestesia São Paulo, sob a chefia de Kentaro Takaoka, exerceu suas atividades no Hospital Nossa Senhora das Graças, tendo propiciado a formação, como anestesiologista, de Septimia Concheta Sampiere e de Sheizi Ono, que passaram a fazer parte de sua equipe.

       Farid Sabbag, com formação no Hospital São Lucas, sob a chefia de Amadeu Prada Beduschi e Marlus Chesneau Lenz Cesar, iniciou suas atividades como especialista em anestesiologia no Hospital de Crianças Cesar Pernetta e depois Hospital Infantil Pequeno Príncipe, no Hospital da Cruz Vermelha Brasileira, no Hospital Geral de Curitiba (Militar), na Casa de Saúde São Francisco, na Maternidade Victor do Amaral, na Clínica Dr. Moyses Paciornick, na Clínica Nossa Senhora do Rosário e nas cidades de Paranaguá e Antonina, tendo assumido a chefia do Serviço de Anestesiologia Pediátrica dos Hospitais de Crianças Cesar Pernetta e Infantil Pequeno Príncipe, tendo propiciado a formação de Ewaldo do Carmo Wendler, de Oldemar José Verges Bordin, de Porcidio D'Otaviano de Castro Vilani, de Sergio Bernardo Tenório e de Julio Cesar Sabbag, que passaram a fazer parte de sua equipe.

       Nas cidades do interior paranaense, os primeiros especialistas a exercerem a anestesiologia foram:

Londrina:- Luiz Gonzaga Bortoni, Ennio Montoro, José Antonio de Queiroz, Wolney Rodrigues Wanderley, Wellington Werner, Aloisio Ribeiro Lima, Antonio de Quintal Vasconcelos, José Adauto Teixeira Rocha, Lazaro Dacio Rodrigues, Mario Tadaiti Iria e Rosa Maria Andrade Calland.
Maringá:- Alípio Miguel Jaime, Fábio Vilela Pedras, João Celso Lopes Manso da Costa Reis, Nelson Couto de Rezende, Mitsi Villanova Menon, Nilda Nishimura Satake, Sandra Leila Mady Cury e Walter Roberto Benez.
Adrianópolis:- Ariston Santana de Araújo.
Antonina:- Jarbas de Oliveira.
Apucarana:- Alcides da Silva e Oliveira, João Arrata e Raphael Favorito.
Arapongas:- Aristides Antonio José Makovich.
Astorga:- José Soares de Azevedo.
Bandeirantes:- Oswaldo Antonio Meneguel e Paschoal R. N. Gimenez.
Cambé:- Algacyr Ferreira.
Campo Mourão:- José Valentim de Araújo.
Cornélio Procópio:- Rubens Corzânego.
Foz do Iguaçu:- Edir Oliveira da Silva e Marino Rios Seijaz.
Francisco Beltrão:- Darby Valente e Walter Alberto Pécoits.
Iporã:- Marcus Francisco Barreto Soares.
Jacarezinho:- Alberto Ignácio de Souza.
Paranaguá:- Beor Rodrigues de Figueiredo e Manoel Rubens Bandolim.
Paranavaí:- Shigueru Sonehara e Waldomiro Perez.
Pato Branco:- Ivo Caramurú Barvinski.
Ponta Grossa:- Corina de Castro Rauli, Eugênio José Bochi, Tetsuo Higashi e WalterGoetz.
Rolândia:- Leopoldo Kazua Socjima.
Toledo:- Antonio Estorilio e Waldomiro Luiz Rodrigues.
Umuarama:- Higashi Yoshii e José Alcindo Gil.


DÉCADA DE 50
       Os anestesiologistas, já perfeitamente estruturados na especialidade, sentiam a necessidade de se agruparem em uma unidade representativa que pudesse defender seus interesses profissionais, científicos e associativos.

       No dia 13 de março de 1953, foi instalado pelo então presidente da Associação Médica do Paraná, Prof. Atlantido Borba Cortes, o Departamento de Anestesiologia da Associação Médica do Paraná - DA, que deu posse à primeira diretoria, eleita por aclamação e assim constituida: Presidente: Armando Obladen; Secretário: Amadeu Prada Beduschi; Tesoureiro: Marlus Chesneau Lenz Cesar.

       Um dos primeiros atos da Diretoria do DA foi encaminhar um ofício à Sociedade Brasileira de Anestesiologia - SBA, solicitando a filiação do novo Departamento.

       Na primeira sessão ordinária do DA, sob a presidência de Armando Obladen, durante o expediente foram lidos dois ofícios da S.B.A., o primeiro sobre o II Congresso Latino Americano de Anestesiologia, e o segundo comunicando a resolução de realizações conjuntas da S.B.A com suas congêneres regionais. Na ordem do dia Armando Obladen apresentou o trabalho "Progressos da Anestesiologia", abordando o problema desde a sua descoberta até as últimas inovações de ordem técnica e material, graças às quais se deu o aparecimento da anestesiologia como especialidade na medicina moderna.

       O Departamento de Anestesiologia, em suas várias gestões, promoveu múltiplas reuniões científicas ao longo do tempo e que contaram com a presença de insignes profissionais do estado e de estados vizinhos, tanto da especialidade quanto de outras áreas da medicina. A anestesiologia paranaense, na década de 50, fortaleceu sua estrutura como especialidade e cresceu, inclusive a nível nacional, em todos os aspectos: científico, profissional e associativo. O efetivo e bom relacionamento com as entidades locais, nacionais e até internacionais, em que eram praticadas a anestesia em particular e a medicina como um todo, foi o fator preponderante deste movimento. A cooperação com a Sociedade Brasileira de Anestesiologia trouxe para o Departamento de Anestesiologia, todo o suporte necessário ao desenvolvimento principalmente associativo e científico.

       Alguns trabalhos publicados, nesta década, na Revista Médica do Paraná e na Revista Brasileira de Anestesiologia demonstram o envolvimento da anestesiologia paranaense da época com o desenvolvimento da especialidade:

       Eugen Wagner, Armando Obladen e Ernani Obladen publicam "Hexametileno-Bis- Carbaminoilcolina - Hcc (Imbretil) - Um Novo Relaxante Muscular";

       Armando e Ernani Obladen publicam "Uma Variante da Agulha de Clovson-Gordh";
       Enio Marçal, cirurgião, publica "A Hibernação Artificial no Tratamento da Encefalopatia Hipertensiva";
       Ernani Obladen publica "Anestesia em Cirurgia Experimental";
       Armando e Ernani Obladen publicam "Anestesia Potencializada";
       Moyses Paciornick, ginecologista e obstetra, publica a tese de concurso à Docência Livre da Cadeira de Clínica Obstétrica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná sobre o tema "Da Analgesia Caudal Contínua em Obstetricia".
       Armando Obladen foi o primeiro paranaense a ocupar um cargo na diretoria da S.B.A., tendo sido eleito 2º Secretário em 1955 e participado efetivamente das discussões que definiram o regulamento do Título de Especialista em Anestesiologia - T.E.A. Teve também atuação destacada nas seguintes questões: reforma de estatutos instituindo a Assembléia de Representantes, com participação efetiva das filiadas regionais; regulamentação do processo eleitoral, exigindo a participação equitativa das regionais na diretoria; reformulação da função do vice-presidente, que passou a ser o candidato natural à presidência no ano seguinte; criação do Conselho Consultivo, integrado pelos ex-presidentes da SBA; definição da inscrição da SBA como sociedade fundadora da Federação Mundial das Sociedades de Anestesiologia.

       Os primeiros anestesiologistas paranaenses aprovados nos concursos para obtenção do Título de Especialista em Anestesiologia foram: Ennio Montoro, da cidade de Londrina, no ano de 1957: Armando Obladen, Marlus Cesar e Eugen Wagner, no ano de 1959, e Ernani Arzua Pereira, em 1960.
       Durante a década de 50 utilizavam-se, no Estado, aparelhos de anestesia importados tais como o Ohio-Heidbrink, o Foregger, o McKesson, o Aga, o Dräegger e o Ben Gordon, por onde eram administrados Ciclopropano, Protóxido de Azoto e Éter. A crise de aparelhagem, com a dificuldade de importação, obrigou a improvisação de aparelhos, aproveitando "flowmeters" recondicionados de velhos aparelhos, dando início à industria brasileira de aparelhos de anestesia. Com o problema da pressão negativa solucionado, inicia-se a difusão da respiração controlada automática. Novos aparelhos passaram a fazer parte do arsenal da especialidade, destacando-se os respiradores Bird Mark 8 e Bennet com IPPB. Surgem as primeiras Unidades Respitatórias. Dr. Kentaro Takaoka apresentou na época o mais revolucionário de todos os respiradores concebidos entre nós, o Respirador Automático de Takaoka, principalmente pelo seu diminuto tamanho e pela sua facilidade de controle, o qual que passou a ser utilizado praticamente por todos os anestesistas paranaenses. Do emprego das técnicas de respiração controlada advieram dois grandes resultados práticos: a difusão dos conhecimentos sobre ventilação pulmonar e o das concentrações dos anestésicos voláteis.


DÉCADA DE 60
       Durante a gestão 1960-1961 do Departamento de Anestesiologia da AMP, dirigido por Ernani Obladen como Presidente e João Farah como Secretário, Curitiba foi sede do VII Congresso Brasileiro de Anestesiologia, realizado de 6 a 12 de novembro de 1960. A Comissão Organizadora do VII CBA estava assim constituída: Presidente - Armando Obladen; Vice-Presidente - Ennio Montoro; 1º Secretário - Marlus C.L.Cesar; 2º Secretário - João Farah; Tesoureiro - Luiz Vasco da Costa Negraes. Os Temas Oficiais foram "Anestesia para Cirurgia de Tuberculose Pulmonar" e "Bloqueios Anestésicos", apresentados respectivamente por Amadeu Prada Beduschi e Armando Fortuna. Dois Simpósios foram realizados concomitantemente sob os temas: "Anestesia em Ortopedia e Traumatologia" e "Anestesia para Cirurgia do Abdome Superior". Como convidados extrangeiros compareceram o Dr. Hector Horacio Vasquez de Buenos Aires, Argentina e o Dr. Harvey Slocum dos E.U.A. , que além de apresentarem trabalhos, fizeram várias demonstrações clínicas nos hospitais da capital. Mais de duzentos anestesistas brasileiros compareceram a este congresso.

       Em 1961, um importante marco para a Medicina em geral e a Anestesiologia em particular, foi a inauguração do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Sua primeira equipe de anestesiologia era formada por anestesistas oriundos de diversos hospitais e de aprendizados em várias escolas. Contava com a participação dos anestesistas Ernani Arzua Pereira, Carlos Henrique Jacob, Armando Lambach, Ney Regattieri Nascimento, Sebastião Farajala Bacila, Marlus Chesneau Lenz Cesar, Iran Bittencourt, Ernani Obladen e tendo Armando Obladen como primeiro chefe. A partir da inauguração desse Hospital e seu efetivo funcionamento, a anestesiologia paranaense passou a contar com o recurso de novas técnicas e com a introdução de novos fármacos, enriquecendo o arsenal terapêutico e, principalmente, pela introdução de novos hábitos de esterilização e higiene, o que viria servir de exemplo para todos os demais hospitais do Paraná. O H.C . contava em seu início com os seguintes aparelhos de anestesia: Drägger modelo Romulus, Foregger modelo Texas, Narcosul e Takaoka. Passou a predominar em anestesia geral a ventilação controlada, feita em sua grande maioria com o Respirador Takaoka ou Narcosul, mas também com o Spiropulsator (Aga) e Pulmomat (Drägger), que eram utilizados para ventilação controlada em circuíto fechado usando Ciclopropano e Éter . No tocante a anestesia regional, o H.C . permitiu o ressurgimento das anestesias condutivas (praticamente abandonadas nos anos 50), agora com Xylocaína (Astra), a Tetracaína (ampola de 10 mg) produzidas na farmácia do hospital e a Mepivacaína. Além das intra e peridurais, passou-se à prática de caudal em criança. Desde sua fundação, embora não sendo ainda uma disciplina, o Serviço de Anestesia do Hospital de Clínicas ensinou e treinou centenas de médicos anestesistas nas categorias de voluntário, estagiário e residente.

       No ano de 1962, em reunião do Departamento de Anestesiologia, é discutido e aprovado o projeto do Regimento Interno do D.A., e na reunião científica Dr. Iran Bittencourt discute a experiência sobre "Anestesia em Cirurgia Cardíaca com Circulação Extracorpórea", constituindo-se na primeira divulgação deste procedimento anestésico. Dr. Armando Obladen expõe os temas: "Honorários Profissionais"e "Anestesia pela Mistura Azeotrópica".

       No ano de 1963 aparecem os primeiros trabalhos sobre Neuroleptoanalgesia e sobre o uso da Prilocaína (Citanest).

       Ainda no ano de 1963, em reunião do D.A, é reconhecida e aprovada a Portaria D.N.P.S. 262/63, que instituia a cobrança dos honorários de anestesia em unidades de serviço - US. Esta foi, sem dúvida alguma, uma das maiores conquistas políticas da S.B.A , por propiciar uma valorização significativa do ganho dos anestesistas e, também, um grande crescimento pelo interesse na especialidade, que passou a contar com número cada vez maior de especialistas, e, devido a esta grande demanda , os Centros de Ensino e Treinamento da S.B.A. tornaram-se quantitativamente insuficientes , propiciando a criação de novos C.E.Ts.

       Em abril de 1965 reúne-se o Departamento de Anestesiologia em sessão conjunta com a Sociedade Paranaense de Ginecologia e Obstetrícia, com a presença do Prof. Dr. Renato Ribeiro que apresenta dois temas científicos sobre analgesia obstétrica: "Narco-aceleração" e "Anestesia de Condução - Bloqueios"; e em sessão conjunta com o Departamento de Pediatria apresenta o tema "Reanimação do Recém-Nascido".

       A III Jornada Sul Brasileira de Anestesiologia - Josulbra, foi realizada em Curitiba de 28 a 31 de julho de 1965 e teve como Comissão Organizadora: Amadeu Beduschi - Presidente, Farid Sabbag - Secretário Executivo, Sebastião Bacila - Tesoureiro e Amaury Bueno - Diretor Social. Durante a Josulbra foram lançados oficialmente no Paraná novos aparelhos de anestesia de Kentaro Takaoka e, também, o uso do Pentrane como anestésico inalatório.

       Em março de 1966 reúne-se o D.A., sob a presidência de Amadeu Beduschi, para aprovação do relatório anual da diretoria de 1965, para a aprovação de um coordenador com a obrigação de organizar as reuniões científicas mensais do D.A ., para aprovação da fundação da Associação das Senhoras dos Anestesistas do Paraná, para a aprovação de fundação da Regional Norte-Paranaense de Anestesiologia, e para aprovação de reforma dos estatutos.

       Em abril de 1966, em reunião do D.A., é aprovada a seguinte Resolução:

       "Os anestesiologistas de Curitiba, membros do Departamento de Anestesiologia da Associação Médica do Paraná, regional da Sociedade Brasileira de Anestesiologia, reunidos em Assembléia Geral Extraordinária em 18 de março de 1966, para defesa de seus interesses e do bom nome da especialidade que praticam:
       Considerando que os anestesiologistas de Curitiba são profissionais especializados e como tal devem usufruir das mesmas regalias, direitos e obrigações dos demais profissionais da medicina;
       Considerando que o trabalho do anestesiologista deve beneficiar principalmente ao paciente, sem constituir objeto de exploração comercial por parte dos hospitais onde seus serviços são prestados;
       Considerando que é vedado aos anestesiologistas, pelo Código de Ética da S.B.A ., receber ou pagar remuneração ou percentagem por serviços profissionais prestados (art. 5º - letra e);
       Considerando que a prática da especialidade ainda vem sendo exercida, em parte de Curitiba, no regime de exploração dos honorários profissionais dos anestesiologistas pelos hospitais, resovem:
       Terminar por completo e de uma vez por todas, com o regime de dicotomia existente.
       Na consequência desta resolução e a partir de 15 de maio de 1966, fica absolutamente vedado aos anestesiologistas conceder qualquer percentagem dos seus honorários aos hospitais onde prestarem seus serviços, quer à título de comissão por cobrança ou por aluguel pelo uso do material de anestesia.

       Em maio de 1966 reúne-se o D.A., com a seguinte programação científica:
Amadeu Beduschi - apresenta trabalho do grupo de anestesistas do Hospital São Lucas sobre "Analgesia em Obstetrícia";
Jayme Guelmann ( obstétra) - discorre sobre "Parto Dirigido", preparo psicológico em consultório, escolha das pacientes, uso dos ocitócicos para induzir o parto, uso de Xylocaína a 1,5% através da anestesia peridural com a utilização de catéter de polietileno.
Francisco Beduschi - apresenta sua estatística sobre "Narco Analgesia para Parto";
Marlus Cesar - apresenta material usado na "Analgesia de Parto", chamando a atenção para a sua esterilização, para a posição da paciente, técnicas de punção e sobre doses únicas ou fracionadas;
Armando Obladen - chama a atenção dos anestesistas para o problema dos pacientes a operar que vem sendo tratados ou que já se trataram com corticóides, sugerindo como terapêutica a administração per-operatória desta substância;
Ney Regattieri Nascimento - faz revisão sobre doentes com câncer de seio e ovários, feocromocitoma, síndrome de Cushing, síndrome de Colin, falando sobre os cuidados pré e per-anestésicos com relação aos andrógenos, aos corticóides, à adrenalina e nor-adrenalina, à regitina e ao cálcio.

       Em junho de 1966 reúne-se o D.A., em conjunto com os pediátras do Hospital de Crianças Cesar Pernetta, para reunião científica versando sobre "Estados de Choque":
-Ddo. Rubens Silva falou sobre conceito, patogenia e etiologia;
-Raul Carneiro falou sobre "Choque por Desidratação Grave";
-Farid Sabbag falou sobre "Choque e Anestesia Pediátrica".

       Em setembro de 1966 é eleita a nova diretoria do Departamento de Anestesiologia para a gestão 66/68, assim constituída:
Presidente - Farid Sabbag
Secretário - Francisco Xavier Beduschi
Tesoureiro - João Oswaldo Rivabem.

       A inauguração do Hospital Santa Cruz no final do ano de 1966, constituiu também um importante marco na medicina do Paraná, trazendo muitas inovações e grande progresso. O seu luxo e requinte, a sua sofisticação e modernidade e a primorosa escolha de seu corpo clínico, tornaram este hospital o centro de atenções de médicos, população e autoridades, fazendo com que para ele confluísse a nata da medicina paranaense. A nova diretoria do D.A., na presidência de Farid Sabbag, e pela especial deferência dos diretores Hamilton Calderari Leal e Affonso Meireles Ennes, utilizou o Hospital Santa Cruz como ponto de apoio para suas reuniões tanto associativas como científicas.Várias foram as reuniões científicas realizadas e que contaram com a presença de insígnes anestesiologistas do Paraná e de outros Estados:
- Kentaro Takaoka veio fazer o lançamento para o Paraná do Filtro Circular Infantil, do Vaporizador Universal e Calibrado, do Respirador de Fole (Sanfonoca), do Sistema de Inalação Sem Refluxo KT 5 e de Mesas de Anestesia equipadas;
- Alberto Caputo falou sobre Sistemas de Inalação e Anestesia para Neurocirurgia;
- Rubens Lizandro Nicoletti falou sobre Hipotermia em Anestesia;
- Armando Fortuna falou sobre Bloqueios Anestésicos e sobre Relaxantes Musculares;
- Italo Rodrigues falou sobre Anestesia Pediátrica.

       Sentia-se a necessidade premente de expansão do Departamento de Anestesiologia, englobando inclusive os especialistas do interior do Estado. Surgiu então a idéia de transforma-lo em sociedade com abrangência em todo o Estado e com a participação de todos. Sob a forma de Sociedade Paranaense de Anestesiologia - S.P.A ., foi fundada em 16 de outubro de 1967, uma sociedade civil, por tempo indeterminado, com sede e foro na cidade de Curitiba, Estado do Paraná.
       A Sociedade Paranaense de Anestesiologia seria a Regional da Sociedade Brasileira de Anestesiologia, respondendo como Departamento da Associação Médica do Paraná, e destinando-se a:
       Congregar médicos anestesiologistas do Estado do Paraná interessados em fomentar o progresso, o aperfeiçoamento e a difusão da especialidade.
       Defender a ética e os interesses profissionais de seus membros.
       Coordenar toda produção científica estadual relacionada com a especialidade e estimular o aprimoramento profissional, através de cursos e congraçamentos científicos.
       Criou-se o logotipo da S.P.A., estilizando a árvore típica do Paraná: um pinheiro assentado sobre um triângulo com o vértice para baixo e com a inscrição Sociedade Paranaense de Anestesiologia em cada uma das faces do triângulo.

A primeira Diretoria da SPA ficou assim constituída:
Presidente - Farid Sabbag
Vice-Presidente - Eugênio José Bocchi
1º Secretário - Francisco Xavier Beduschi
2º Secretário - José Antonio de Queiroz
1º Tesoureiro - Sebastião Farajala Bacila
2º Tesoureiro - José Celso Manso da Costa Reis
1º Orador - Adhemar Ribeiro de Campos
2º Orador - José Valentim de Araújo
Conselho Consultivo - Farid Sabbag, Amadeu Prada Beduschi, Armando Obladen, Ernani Arzua Pereira e Marlus Chesneau Lenz Cesar.

       Como atividade associativa da SPA deve-se destacar o trabalho em prol da criação dos Centros de Ensino e Treinamento no Paraná, tendo sido criados os CET do Hospital de Clínicas, da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, da Casa de Saúde São Vicente, do Hospital Santa Cruz, da Clínica de Fraturas e Ortopedia, do Hospital Evangélico, todos de Curitiba, e do Hospital Evangélico de Londrina.

       No ano de 1968 Francisco Xavier Beduschi, Secretário da SPA, foi eleito Diretor da Sociedade Brasileira de Anestesiologia - SBA. Farid Sabbag, Presidente da SPA, e Francisco Xavier Beduschi foram os representantes paranaenses junto à Comissão de Assuntos Econômicos da SBA - CAECO.

       Ainda em 1968 foi instalada a primeira sede da Sociedade Paranaense de Anestesiologia - SPA, toda equipada e mobiliada para atender a todas as suas necessidades, em um conjunto alugado na rua São Francisco, 200, 5º andar. A inauguração da nova sede foi revestida de festividade em que foram outorgados títulos de sócios beneméritos a Kentaro Takaoka, José Luiz Guimarães Santos e Mário Arthur Despinoy.

       Em junho de 1969, na sede da SPA, realizou-se com grande sucesso e com expressivo número de inscritos, o Curso Preparatório para o Título de Especialistas da Sociedade Brasileira de Anestesiologia - TEA-SBA.

       No dia 16 de outubro de 1969, dia do anestesiologista, em Assembléia Geral da Sociedade Paranaense de Anestesiologia, foram eleitos e empossados os membros da Diretoria da SPA para o mandato de 70/71, assim constituída:
Presidente - Francisco Xavier Beduschi
Vice-Presidente - José Antonio de Queiroz
1º Secretário - João Oswaldo Rivabem
2º Secretário - Sheizi Ono
1º Tesoureiro - Sebastião Farajala Bacila
2º Tesoureiro - Fábio Villela Pedras
Orador - José Ephisio Bigarelli
Conselho Consultivo - Farid Sabbag, Francisco Xavier Beduschi, Marlus Chesneau Lenz Cesar, Ernani Arzua Pereira e Armando Obladen.

       De 19 a 23 de outubro de 1969 realizou-se em Curitiba o 16º Congresso Brasileiro de Anestesiologia. A Comissão Executiva do 16º CBA estava assim constituída:
Presidente - Farid Sabbag
Vice-Presidente - José Antonio de Queiroz
Secretário Geral - Francisco Xavier Beduschi
Secretário Executivo - Adhemar Ribeiro de Campos
Secretário Adjunto - Oldemar José Vergès Bordin
Comissão Científica - Marlus C.L.Cesar (Presidente), Armando Obladen, Ernani Arzua Pereira, Ney Regattieri Nascimento, Wolney Rodrigues Wanderley e Adauto Rocha
Comissão de Finanças - Sebastião F.Bacila (Presidente), João Oswaldo Rivabem, Sheisi Ono,Helmut Karl Rebel, José Ephisio Bigarelli, Lázaro Dácio Rodrigues e Alipio M.Jaime.
Comissão Social - Carlos H.Jacob (Presidente), Amadeu Prada Beduschi, José Antonio Grisoli, Luiz Vasco da Costa Negraes, José Cassio Cavalcanti de Alburquerque, Celso Sperandio, José Valentim de Araujo e Raphael Favorito.
Comissão de Relações Públicas e Divulgação - João Farah (Presidente), Amaury D. Bueno, Pedro Napoleão Adam Machado, João Alfredo Duarte, Ernani Obladen, João Celso Costa Reis, Leopoldo K. Sucjima e Nelson Couto de Rezende.

       Este evento foi considerado por muitos anestesiologistas brasileiros, como um dos melhores até então realizados, tanto pela sua organização quanto pela sua programação científica e social esmeradamente preparadas, e ainda pelas inovações apresentadas em congressos da especialidade. O meio de divulgação do Congresso foi através de um filme com lindas imagens do Paraná, acompanhadas de uma gravação do Governador Paulo Pimentel, com uma mensagem convidando a todos os especialistas em anestesiologia a comparecerem e prestigiarem o evento. A preparação para a realização do 16º CBA revestiu-se do mais absoluto esmero e cuidado em todos os seus detalhes. A promoção , que já havia começado com a exibição do filme, teve continuidade com a emissão de boletins esmeradamente confeccionados através do projeto de um técnico em artes gráficas, fazendo com que fosse por demais apreciada a sua qualidade e o excelente visual. Este mesmo técnico apresentou o projeto para o logotipo do Congresso: dois "a"invertidos, que iniciou para estes eventos o hábito de sua utilização. Todos os detalhes de preparação do Congresso foram devidamente analisados através do sistema PERT, tanto de preparação quanto de execução, e foram rigorosamente seguidos pela Comissão Executiva.Ainda como inovação apresentada, tivemos a transmissão direta por televisão de prática de anestesia. Participaram deste Congresso mais de 600 congressistas, tanto brasileiros quanto extrangeiros. Dentre os extrangeiros contou-se com a presença do Secretário da Federação Mundial das Sociedades de Anestesiologia Otto Mayrhoffer (Austria), e de John J. Bonica (EUA), Olaf Norlander (Suécia), Juergen Stoffregen (Alemanha), Simon Lustgarten e David Andrade Marcano (Venezuela), B.J. Simpson (Inglaterra) e Sthephen N. Steen (EUA). A programação científica constou de:
CONFERÊNCIAS:
John J. Bonica - Anestesia e Analgesia Obstétrica
John J. Bonica - Bloqueios Anestésicos e Terapêuticos
Alberto Caputo(SP) - Anestesia em Neurocirurgia e Hipotermia
Kentaro Takaoka(SP) - Respiradores Mecânicos
MESAS REDONDAS
Tratamento da Dor
Moderador - Armando Fortuna(SP)
Participantes - John Bonica(USA), Antonio Pereira de Almeida(SP), Zairo Vieira(Bs), Italo Rodrigues(ES)
Anestésicos e Glândulas de Secreção Interna
Moderador - Oldemar Bordin (Pr)
Participantes - Danilo Duarte(SC), José Affonso Zugliani(RJ), Rubens L.Nicoletti(SP), Alvaro Eugênio(SP).
- Neuro-Fármaco-Fisiologia em Anestesia
Moderador - Fernando Bueno Pereira Leitão(SP)
Participantes - Francisco Xavier Beduschi(Pr), Francisco Bochart(MG), José Cesar Castro Barreto(GO), Paulo Cruz Maia (RS)
- Iatrogênese e Anestesia
Moderador - Carlos Jacob(Pr)
Participantes - Paulo Leggerini Pereira (RS), Amador Varela Lorenzo(SP), Renato Saraiva (Bs), Adir Mulinari (Pr), José Affonso Zugliani(RJ)
- Pneumopatias e Anestesia
Moderador - Renato Ribeiro (RJ)
Participantes - José Calazans Maia(RJ), Moacyr Cardoso(SP), Waldir Medrado(BA), Joaquim de Paula Barreto(SP)

CURSOS DE ATUALIZAÇÃO
1 - Insuficiência Respiratória e Inaloterapia (SOBIRI)
Participantes :
-João Barbas Valente - Aspéctos Fisiopatológicos da Insuficiência Respiratória
-Joaquim de Paula Barreto Fonseca - A Insuficiência Respiratória na Clínica Diária
-Kentaro Takaoka - Aspéctos Práticos da Nebulização e suas Técnicas
-Armando Fortuna - Prótese Respiratória a Curto e Longo Prazo e seus Problemas
-José Pinto de Araujo - Terapia Inalatória-Organização e Funcionamento de uma Unidade Ambulatorial
-Pedro Zolnerkevic - Unidade Respiratória com Cuidado Intensivo
-Jesse Teixeira - Avaliação Respiratória do Paciente Cirúrgico
-Ary Strachmann - Seleção de Provas para Avaliação da Função Pulmonar
-José Maria Munhoz da Rocha - Alergia Respiratória
-Paulo Saraiva - Farmacodinâmica na Insuficiência Respiratória

2- Insuficiência Circulatória
Participantes:
-Rubens L. Nicoletti - Transfusão Maciça de Sangue
-Renato Ribeiro - Organizaçãao e Funcionamento de um CTI
-Fernando Bueno P. Leitão - Choque
-Armando Fortuna - Equilíbrio Ácido-Básico

3- Bloqueios
-Armando Fortuna - Transmissão Direta de Prática de Anestesia Peridural por Televisão (Inovação).

PALESTRAS DE ATUALIZAÇÃO
-Armando Fortuna - Novos Agentes em Anestesia Regional
-Simon Lustgarten (Ven) - Reanimação Respiratória
-Alvaro Eugênio - Drogas Autonômicas
-Juergen Stoffaegen (Alem) - O Risco Anestésico e Anestesia com Risco
-David Andrade Marcano (Ven) - Explosões e Incêndios na Sala de Cirurgia
-Stephen N. Steen (USA) - Causas de Morte Durante Anestesia

FILMES
-Astra do Brasil - Bloqueios
-Johnson & Johnson - Neuroleptoanalgesia com Inoval
-Parke & Davies - Anestesia Dissociativa com Ketalar
O 16º C.B.A. fechou com chave de ouro as realizações da Sociedade Paranaense de Anestesiologia na década de 60.


DÉCADA DE 70
       De 15 a 17 de maio de 1970 realizou-se em Londrina, a VI JOSULBRA, organizada pela Associação Norte Paranaense de Anestesiologia, e concomitantemente realizou-se o II Encontro de Presidentes de Regionais da Sociedade Brasileira de Anestesiologia.

       O Paraná, que somente tinha tido participação na administração da S.B.A., através de Armando Obladen como 2º Secretário em 1955 e de Francisco Xavier Beduschi como Diretor em 1969, teve eleito na Assembléia de Representantes de 1970 Farid Sabbag como Vice-Presidente e que passaria automaticamente a Presidente no ano seguinte. Farid Sabbag foi, portanto, na Sociedade Brasileira de Anestesiologia, Presidente em 1972, Diretor na gestão 73, Presidente da Comissão de Ética e Defesa Profissional nos anos 74, 75 e 76 e Presidente da Assembléia de Representantes em 1975. Foi, ainda, Presidente das Sociedades de Anestesiologia dos Povos de Língua Portuguesa de 1971 a 1973.

       No ano de 1973, sob a presidência de Amaury Delavigne Bueno na S.P.A., realizou-se em Curitiba a IX JOSULBRA.

       A gestão da Diretoria da S.P.A . para o biênio 74/75, sob a presidência de Francisco Xavier Beduschi, enfrentou sérios problemas devido a compra dos Hospitais Santa Cruz e Maternidade do Portão pelo I.N.P.S. e o interesse em locar serviços médicos, inclusive de anestesia, através de firma locadora de serviços. Este fato ocasionou grande intranquilidade a toda a classe médica, fazendo com que a S.P.A . se mobilizasse, inclusive a nível nacional, na busca da manutenção dos direitos adquiridos.

       Nesta época começou-se a discutir a possibilidade de agrupamento dos Serviços de Anestesia e a idéia predominante foi a de utilizar o sistema cooperativista para este objetivo. O primeiro passo dado foi incluir nos estatutos da Unimed Curitiba um ítem que contemplasse a possibilidade de participação de Departamentos de Especialidades nesta entidade. Em 7 de fevereiro de 1975 foi criado o Departamento de Anestesiologia da MEDIPAR-UNIMED CURITIBA, que foi a origem da, mais tarde independente, Cooperativa Paranaense de Anestesiologia, tendo sido eleitos para sua primeira diretoria:
Presidente - Farid Sabbag
Secretário - Helmut Karl Rebel

       De 8 a 11 de abril de 1976, sob a presidência de Farid Sabbag na S.P.A., realizou-se na cidade de Foz do Iguaçu a XII JOSULBRA e a "I Jornada Anestesiológica Del Cono Sur de America", que contou com a participação de anestesistas brasileiros, argentinos, uruguaios, paraguaios e chilenos, e que alcançou grande sucesso em sua programação científica e social.


DÉCADAS DE 80 E 90
       Encerrando o ciclo de trinta anos da história da anestesia paranaense no ano de 1976, ciclo este que podemos considerar como de verdadeira estruturação e solidificação da Sociedade Paranaense de Anestesiologia feitas por todos aqueles pioneiros que, de forma inconteste, se dedicaram de corpo e alma até atingir este objetivo, Farid Sabbag transfere a Antonio Leite Oliva Filho a presidência da entidade.

       Inicia-se desta forma um novo ciclo que iria se caracterizar pelo célere desenvolvimento da S.P.A., comandado inicialmente por Antonio Oliva Filho e contando com a participação de uma nova geração de anestesiologistas como Manoel Antonio de Almeida Neto, João Carlos Bozza, Octaviano Baptistini Junior, Sergio Bernardo Tenorio, Helmut Karl Rebel, José Cassio Cavalcanti de Alburquerque, Antonio Garibaldino Vieira do Amaral, Odilon Ferreira Filho, Porcidio D'Otaviano de Castro Vilani, Julio Cesar Sabbag, Elizabeth Mila Tambara, Roberto Bastos da Serra Freire, Douglas Flávio Porsani, Sheizi Ono, e outros. Como fatos marcantes deste ciclo podemos considerar:
- Oliva Filho reorganiza a Sociedade, promove a reforma dos estatutos, implanta o sistema de informática, amplia o relacionamento com a S.B.A . e as outras Regionais, impingindo um caráter mais científico em sua administração.
- Em 1980, Oliva Filho foi eleito Diretor de Ética e Defesa Profissional da SBA. Depois, entre 1982 e 1984 participa da Comissão Examinadora do Título Superior em Anestesiologia daquela entidade, assumindo a Presidência desta Comissão em 1984. Entre 1986 e 1988 participa da Comissão de Ensino e Treinamento da SBA, assumindo a Presidência desta Comissão em 1988.

- Em 1982, entre 31 de outubro e 5 de novembro, realizava-se em Curitiba o XXIX Congresso Brasileiro de Anestesiologia, quando, mais uma vez, o Paraná demonstrava sua excepcional qualidade na organização de eventos de tão grande envergadura. Aquele evendo notabilizou-se por concentrar, no período da manhã, toda a atividade científica em um único grande anfiteatro, onde desenrolava-se o tema oficial: "Anestesia Ambulatorial". A única atividade paralela ao tema oficial era a apresentação, em fitas de vídeo, de reprodução de temas do dia anterior. No primeiro dia, a repetição referiu-se a temas do Congresso Mundial de Hamburgo realizado naquele mesmo ano. No período vespertino o temário era desenvolvido paralelamente em quatro salas: Temas Livres, Cursos Verticais, Temas de Atualização e Revisão e Outros Assuntos. A Comissão Organizadora foi constituída por:
Comissão Executiva:
Presidente: Manoel Antonio Almeida Neto
Secretário: Sérgio Bernardo Tenório
Tesoureiro: Octaviano Baptistini Júnior
Dir. Científico da SBA: Eugesse Cremonesi
Presidente do XXVIII CBA: Benedito R. Cohen
Comissão Científica:
Presidente: Antonio Leite Oliva Filho
Membros: Helmut Karl Rebel, Ney Regattieri Nascimento, Douglas Flávio Porsani, Wolney Rodrigues Wanderley
Comissão Social:
Presidente: João Carlos Leinig
Membros: Porcídio D'Otaviano de Castro Vilani, Maria Aparecida Batista
Comissão de Relações Públicas:
Presidente: Hercília Laura Ferrari Cocicov
Membros: João Carlos Boza, Elizabeth Milla Tambara

Neste evento, pela primeira vez discutiram-se os Riscos Legais do Exercício da Especialidade de Anestesiologia e iniciavam-se, no Brasil, os debates sobre interação medicamentosa em anestesia, aplicação raquidiana de morfina para terapia de dor e o uso de técnicas morfínicas de anestesia geral, que mais tarde passou a chamar-se anestesia analgésica. Também naquele ano era retomada a prática de publicação dos Anais dos Congressos Brasileiros, com a publicação, inclusive, dos temas livres apresentados.
- É fundada, em maio de 1982, a Cooperativa Paranaense de Anestesiologia - COPAN e por influência desta, é fundada a Federação Brasileira das Cooperativas de Anestesiologia - FEBRACAN.
- Inicia-se o movimento de descredenciamento dos anestesistas junto ao INAMPS, encetada pela Comissão de Assuntos Econômicos da SPA, presidida por Manoel Almeida Neto, movimento este que teve a adesão de mais de 50% dos especialistas paranaenses e de colegas de outros estados brasileiros. O movimento teve divulgação pública, subvencionada pela SPA, com exposição de out-door nas principais cidades do Estado, entrevistas na imprensa escrita, falada e televisada, expondo aos usuários do sistema público os problemas, limitações e riscos diante das ingerências administrativas daquele órgão de previdência e assistência. O título da campanha era "Pense bem, pensar não dói".
- Antonio Leite Oliva Filho, após ter sido membro do Conselho Editorial da Revista Brasileira de Anestesiologia a partir de 1982, assume o cargo de Editor Associado em entre 1983 e 1985 e é eleito, em 1989, Editor Chefe da Revista Brasileira de Anestesiologia, cargo para o qual foi reeleito em 1992 e cumpriu até 1994. Durante sua gestão, implantou avanços no fluxograma de publicações dos trabalhos científicos e mudança na qualidade de apresentação gráfica e da capa da Revista Brasileira de Anestesiologia.
- Manoel de Almeida Neto é eleito Diretor do Departamento Econômico, Vice-Presidente e Presidente da S.B.A.
- João Carlos Boza é eleito Diretor do Departamento Econômico, Vice-Presidente e Presidente da S.B.A .
- É adquirida e instalada a nova sede da Sociedade Paranaense de Anestesiologia.

- Entre 29 de outubro e 2 de novembro de 1994 realizava-se em Curitiba o XLI Congresso Brasileiro de Anestesiologia com invulgar brilho e sucesso. Iniciou-se com dois memoráveis cursos pré-congresso: 1. Atendimento Pré-Hospitalar de Medicina de Catástrofe com a participação de colegas franceses, do SAMU de Paris, em evento aberto a comunidade. 2. Incidentes e Acidentes Relacionados aos Aparelhos de Anestesia, coordenado por Roberto Simão Mathias. O tema Oficial do Congresso foi "Trauma", debatido em todos os seus aspectos relacionadas à Anestesia, além de outros temas paralelos. Pela primeira vez a programação científica é desenvolvida em apenas quatro dias de atividades, o que resultou em invulgar número de participantes. A Comissão Organizador estava constituída por:
Comissão Executiva:
Presidente: Antonio Leite Oliva Filho
Secretário: Douglas Flávio Porsani
Tesoureiro: Walmir Wilson Pajewski
Dir Científico da SBA: Mário José da Conceição
Comissão Científica:
Sérgio Bernardo Tenório (Coordenador), Elizabeth Milla Tambara, Eliane Moreira Amarante Pereira, Sandra Maria F. Wanderley
Comissão Social:
Maria Helena Simonetto Lopes (Coordenadora), Kátia Marina S. Floriano, Maria Aparecida Batista, Ernani Obladen, Williams Guimarães Zanatta.
Comissão de Secretaria:
Douglas Flávio Porsani (Coordenador), Roberto Bastos da S. Freire
Comissão de Infra-Estrutura:
Rohnelt Machado de Oliveira (Coordenador), Antonio Garibaldino Vieira do Amaral, José Antonio Rodrigues Forero, Eneida Lopez Valente
Comissão de Tesouraria:
Walmir Wilson Pajewski, Eduardo Ferreira de Oliveira Filho, Octaviano Baptistini Júnior

Durante a Assembléia de Representantes do XLI Congresso Brasileiro de Anestesiologia, Antonio L Oliva Filho foi eleito Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Anestesiologia.
- Em 1996, no ano em que se comemoravam os 150 anos da primeira anestesia no mundo, os 50 anos de história da Anestesiologia Paranaense, Antonio Leite Oliva Filho exerce o mandato de Presidente da Sociedade Brasileira de Anestesiologia.
- Em 2000, em S. Paulo, durante o 47º Congresso Brasileiro de Anestesiologia, Roberto Bastos da Serra Freire inicia mais um ciclo de representantes paranaenses na Diretoria da S.B.A., eleito que foi para o cargo de Diretor do Departamento de Defesa Profissional.

Sinopse das Diretorias da Sociedade Paranaense de Anestesiologia de 1977 a 2001:
1977-78
Presidente: Dr. Antonio Leite Oliva Filho
1º Secretário: Dr. Octaviano Baptistini Junior
2º Secretário: Dr. Manoel Antônio Almeida Neto

1979-80
Presidente: Dr. João Carlos Leinig
Vice-Presidente: Dr. Wolney Rodrigues Wanderley
Secretário: Dr. Francisco Ranieri Neto
2º Secretário: Dr. Sérgio Bernardo Tenório
Tesoureiro: Dr. Waldir K. Erlund
2º Tesoureiro: Dr. Wieslaw Koniarski
Dir. de Ética e Defesa Profissional: Dr. Manoel A. Almeida Neto
Diretor Científico: Dr. Antonio Leite Oliva Filho

1981-82
Presidente: Dr. Manoel Antonio Almeida Neto
Vice-Presidente: Dr. Cristiano de Barros Gomes
Tesoureiro: Dr. Sérgio Berando Tenório
2º Tesoureiro: Dr. Rovilso Gorine
Dir. Científico: Dr. Douglas Flávio Porsani
Secretário: Dr. Cláudio José Caminada Miranda
2º Secretário: Dr. Eduardo Toledo
Dir. Ética e Defesa Prof.: Dr. Antonio Garibaldino V. do Amaral

1983-84
Presidente: Dr. Sérgio Bernardo Tenório
Vice-Presidente: Dr. Paschoal José Imperatriz
Tesoureiro: Dr. Gerson Zaleski
2º Tesoureiro: Dr. José Cristiano Barros Gomes
Secretário: Dra. Hercília Laura Ferrari Cocicov
2º Secretário: Dr. Eduardo Alves Toledo
Diretor Científico: Dr. João Carlos Boza
Dir. Ética e Defesa Prof.: Dr. Porcidio C. Vilanni

1985-86
Presidente: Dr. João Carlos Boza
Vice-Presidente: Dr. Antonio de Quintal Vasconcelos
Tesoureiro: Dr. Sheizi Ono
2º Tesoureiro: Dr. Tito Camargo Bianchini
Secretário: Dra. Elizabeth Milla Tambara
2º Secretário: Dr. Roberto Bastos da Serra Freire
Diretor Científico: Dr. Helmuth Karl Rebel
Dir. Ética e Def. Prof.: Dr. Manoel Antonio Almeida Neto

1987-88
Presidente: Dr. Octaviano Baptistini Junior
Vice-Presidente: Dr. José Roberto de Souza Brito
1º Tesoureiro: Dr. Sheizi Ono
2º Tesoureiro: Dra. Maria Aparecida Batista
1º Secretário: Dr. Odilon Ferreira Filho
2º Secretário: Dr. Luiz Roberto de Sousa
Diretor Científico: Dr. José Cassio C. de Albuquerque
Dir. Ética Profissional: Dr. João Carlos Boza

1989-90
Presidente: Dr. José Cassio Cavalcanti de Albuquerque
Vice-Presidente: Dr. Odilon Ferreira Filho
1º Secretária: Dra. Dulcemar Szeremeta
2º Secretário: Dr. Eduardo Ferreira Oliveira Filho
1º Tesoureiro: Dr. Walmir Wilson Pajewski
Diretor Científico: Dr. Douglas Flávio Porsani
Vice-Diretor Científico: Dr. Ayrton de Andrade Júnior

1991-92
Presidente: Dr. Odilon Ferreira Filho
Vice-Presidente: Dr. Walmir Wilson Pajewski
1ª Secretária: Dulcemar Szeremeta
2ª Secretária: Hercilia Laura Cocicov Mueller
1ª Tesoureira: Dra. Sandra Helena T. Ferraz
2º Tesoureiro: Dr. Eduardo F. Oliveira Filho
Diretor Científico: Dra. Elizabeth Milla Tambara
Vice-Diretor Científico: Dr. Rogério Rehme

1993-94
Presidente: Dr. Walmir Wilson Pajewski
Vice-Presidente: Dr. Douglas Flávio Porsani
1º Tesoureiro: Dr. Eduardo Ferreira Oliveira Filho
2º Tesoureira: Dra. Sandra Helena Teixeira Ferraz
1º Secretário: Dr. Roberto Bastos da Serra Freire
2º Secretária: Dra. Elizabeth Milla Tambara
Diretor Científico: Dr. Sérgio Bernardo Tenório
Vice-Diretor Científico: Dra. Kátia Marina S. Floriano

1995-96
Presidente: Dr. Douglas Flávio Porsani
Vice-Presidente: Dra. Elizabeth Milla Tambara
1º Secretário: Dr. Rohnelt Machado de Oliveira
2º Secretário: Dra. Denise Rossi
1º Tesoureiro: Dr. Luiz Roberto de Sousa
2º Tesoureiro: Dr. Eduardo Ferreira Oliveira Filho
Diretor Científico: Dr. Roberto Bastos da Serra Freire
Vice-Diretor Científico: Dra. Sandra Maria Ferreira Wanderley

1997-98
Presidente: Dr. Eduardo Ferreira de Oliveira Filho
Vice-Presidente: Dr. Roberto Bastos da Serra Freire
1º Secretário: Dra. Denise Rossi
2º Secretário: Dr. Marco Antônio Paviani
1º Tesoureiro: Dr. Rohnelt Machado de Oliveira
2º Tesoureiro: Dr. Ernani Obladen
Diretor Científico: Dra. Sandra Maria F. Wanderley
Vice-Diretor Científico: Dr. Ricardo Marinho Teixeira

1999-2000
Presidente: Dr. Roberto Bastos da Serra Freire
Vice-Presidente: Dr.Rohnelt Machado de Oliveira
1º Secretário: Dr. Pedro Paulo Tanaka
2º Secretário: Dra. Maria Aparecida de Almeida Tanaka
1º Tesoureiro: Dr. Cláudio José Caminada Miranda
2º Tesoureiro: Dr.Walmir Pajewski
Diretor Científico: Dr. Ricardo Marinho Teixeira
Vice-Diretora Científica: Dra. Denise Rossi

2001-02
Presidente: Dr.Rohnelt Machado de Oliveira
Vice Presidente: Dra. Denise Rossi
1º Secretária: Dra. Maria Aparecida de Almeida Tanaka
2º Secretário: Dr. Ranger Cavalcante da Silva
1º Tesoureiro: Dr. Cláudio José Caminada Miranda
2º Tesoureiro: Dr. Custódio Antonio S. Martins Júnior
Diretor Científico: Dr. Pedro Paulo Tanaka
Vice-Diretor Científico: Dr.Rogério Rehme


Sinopse das JOSULBRA promovidas pela Sociedade Paranaense de Anestesiologia

3ª JOSULBRA - 29 A 31 DE JULHO DE 1965
CURITIBA - PR
Comissão Organizadora: Amadeu Prada Beduschi, Farid Sabbag, Sebastião Bacila, Amaury Delavigne Bueno.

6ª JOSULBRA - 14 A 16 DE MAIO DE 1970
LONDRINA - PR
Comissão Organizadora: Francisco Xavier Beduschi, João Osvaldo Rivabem, Aloísio Ribeiro Lima, Wellington Werner, Lázaro Dácio Rodrigues. Comissão Científica: Wolney Rodrigues Wanderley, Adauto Teixeira Lopes, Fábio Vilela Pedras, Leopoldo K. Soejima. Comissão Social: José Antonio de Queiroz, Rubens Corzanego, Aristides A. J. Makowich, Dra. Mitzi Villanova Menon.

9ª JOSULBRA - 28 A 30 DE ABRIL DE 1973
CURITIBA - PR
Comissão: Amaury Delavigne Bueno, Francisco Xavier Beduschi e Antonio Leite Oliva Filho

12ª JOSULBRA - 08 A 11 DE ABRIL DE 1976
FOZ DO IGUAÇÚ - PR
Comissão: Francisco Xavier Beduschi, Farid Sabbag, Antonio Leite Oliva Filho, João Carlos Boza

15ª JOSULBRA - 1º A 03 DE MAIO DE 1980
LONDRINA - PR
Comissão: João Carlos Leinig, João Carlos Boza, Mario Tadaiti Iria

18ª JOSULBRA - 28 A 30 DE ABRIL DE 1983
FOZ DO IGUAÇU - PR
Comissão: Sérgio Bernardo Tenório, Porcídio D'Otaviano de Castro Vilani, Hercília Laura Ferrari Cocicov, João Carlos Bozza, Antonio Garibaldino V. do Amaral, Manoel Antonio Almeida Neto.

21ª JOSULBRA - 25 A 27 DE ABRIL DE 1986
CURITIBA - PR
Comissão: João Carlos Boza, Elizabeth Milla Tambara, Manoel Antonio de Almeida Neto, Helmut Karl Rebel.

24ª JOSULBRA - 19 A 21 DE MAIO DE 1989
FOZ DO IGUAÇÚ - PR
Comissão: Manoel Antonio de Almeida Neto, João Carlos Boza, Octaviano Baptistini Jr., José Cássio C. de Albuquerque, Dra. Hercília Laura Ferrari Cocicov, Sheizi Ono, Odilon Ferreira Filho, Antonio Leite Oliva Filho, Porcídio D'Otaviano de Castro Vilani.

27ª JOSULBRA - 30 DE ABRIL A 02 DE MAIO DE 1992
CURITIBA - PR
Comissão: Odilon Ferreira Filho, Walmir Wilson Pajewski, Roberto Bastos da Serra Freire, Katia Marina S. Floriano, Custódio Antonio S. Martins Jr., Roberto Talamini Espínola, Eduardo Ferreira de Oliveira Filho, Sandra Helena Teixeira Ferraz, Dulcemar Abib, Luiz Celson Patrial, Elizabeth Correa Jacob.

30ª JOSULBRA - 28 A 30 DE ABRIL DE 1995
FOZ DO IGUAÇÚ - PR
Comissão: Douglas Flavio Porsani, Rohnelt Machado de Oliveira, Dra. Denise Rossi, Walmir Wilson Pajewski, Eduardo Ferreira de Oliveira Filho, Roberto Bastos da Serra Freire, Dra. Elizabeth Milla Tambara, Dra. Sandra Maria Ferreira Wanderley, Dra. Maria Helena Simonetto Lopes, Ernani Obladen, Antonio Leite Oliva Filho.

34ª JOSULBRA - 29 DE ABRIL A 1º DE MAIO DE 1999
CURITIBA - PR
Comissão: Roberto Bastos da Serra Freire, Walmir Wilson Pajewski, Eduardo Ferreira de Oliveira Filho, Ricardo Marinho Teixeira, Rohnelt Machado de Oliveira, Denise Rossi, Pedro Paulo Tanaka, Douglas Flavio Porsani, Ranger Cavalcante da Silva.

36ª JOSULBRA - 19 A 21 DE ABRIL DE 2001
LONDRINA - PR
Comissão: Rohnelt Machado de Oliveira, Roberto Bastos da Serra Freire, Pedro Paulo Tanaka, Dra. Maria Aparecida Tanaka, Cláudio José Caminada Miranda, Ricardo Marinho Teixeira, Dra. Denise Rossi, Mario Tadaiti Iria, Paulo Adilson Herrera.


CONTRIBUIÇÃO PARA A HISTÓRIA DA ANESTESIOLOGIA PARANAENSE
Farid Sabbag - TSA
Antonio L Oliva Filho - TSA

TOPO DA PÁGINA © 2001 Sociedade Paranaense de Anestesiologia - Todos os direitos reservados